quarta-feira, 24 de junho de 2015

Pokémon Heart Gold - Soul Silver. Análise do jogo.


Embarque com Pikachu, Chikorita, Totodile e Cyndaquil  para vasculhar os segredos de uma nova região de Johto. Análise de Pokémon Heart Gold e Soul Silver.



É fato que um dos símbolos dos portáteis da Companhia de Kyoto seja a série de monstros de bolso Pokémon. A fama dos 151 monstros iniciais começou em Pokémon Red e Blue no Game Boy. No entanto, um dos passos fundamentais para o desenvolvimento da série foi o anúncio de Pokémon Gold e Silver para o então Game Boy Color. Novos monstros, um novo continente, além de uma gama maior de possibilidades de jogabilidade, e é claro as famosas partidas multiplayer, símbolos da franquia transformaram as versões de metais preciosos em títulos mais vendidos de todos os tempos. Uma década depois de seu lançamento original, com novos monstros e novas funcionalidades, a Game Freak e a The Pokémon Company decidiram "comemorar" esta data lançando uma versão remasterizada de um dos ícones do Game Boy Color. E assim nasceu Pokémon Heart Gold e Soul Silver. Neste título, o personagem irá se aventurar pela vasta região de Johto, conhecerá as lendas de Ho-oh e Lugia, os mascotes e símbolos dos novos games, além de retornar ao continente que deu início a toda esta franquia, Kanto. Agora com mais de 550 Pokémon podendo ser capturados e com novos ataques e táticas disponíveis, Pokémon acabou perdendo um pouco a "Infantilidade" de seus primórdios e passou a se apresentar como um título estratégico, sendo necessário o estudo de seus adversários em batalhas, especialmente em competições ao redor do mundo.


Aprovado:

A nostalgia da Segunda Geração com a Tecnologia da Quarta Geração. Uma mistura que alegra a todos os gostos:

Pokémon Heart Gold e Pokémon Soul Siver são jogos que conseguem fazer um "mix" do que a maioria dos jogadores que há tempos acompanham a franquia querem. Em primeiro lugar temos o grafismo bem próximo, e muitas vezes melhorado da Quarta Geração, correspondente aos títulos Pokémon Diamond, Pearl e Platinum, isto é, desta vez temos construções com uma aspecto maior de três dimensões, além de uma paleta de cores mais ricas e variadas do que os próprios games baseados na Região de Sinnoh. No entanto, no mesmo título temos as principais funcionalidades trazidas do Game Boy Color, uma das principais é a mudança de períodos do dia. Neste título, temos os períodos da Madrugada, Manhã, Dia, Tarde e Noite, o que implicará ao jogador se aventurar em ambos os continentes do título (Johto e Kanto) em diversos períodos, visto que haverão Pokémons exclusivos para cada período, além de uma taxa maior de captura que também é exclusiva a combinação certa de período do dia e o monstro que o jogador quer capturar. Além deste fator, podemos destacar as próprias regiões aonde ocorrem os título, os Continentes de Johto e Kanto. Separados por uma imensa cordilheira e por uma cachoeira, ambos os continentes marcaram a franquia por apresentarem os primeiros 251 monstrinhos e na qual o grupo de lendários, entre os quais, Mew, Mewtwo e as aves lendárias de Kanto e Ho-oh, Lugia e os Cães Lendários de Johto são os mais conhecidos. Po último, temos ainda a possibilidade seu Pokémon te acompanhar fora da Pokébola durante a jornada, algo retirado de Pokémon Yellow.

Quantidade é sinônimo de qualidade:

Em relação a todos os títulos da franquia Pokémon, Heart Gold e Soul Silver são sem dúvida nenhuma, os mais longevos de todos. Embora possua o início idêntico de todos os seus antecessores, os títulos incluem em seu enredo "principal", exterminar o renascimento da Equipe Rocket, que retorna anos depois do desaparecimento de seu líder Giovanni. Além disso, o jogador deve seguir para conseguir obter as 8 insígnias de Johto, passando pelos mais variados ginásios, treinando seus Pokémons. Não bastando toda esta "obrigatoriedade", cabe ainda ao jogador capturar lendários no mínimo irritantes, além de Vencer a Elite 4. No entanto, isto é só METADE do que o jogador fará no título, logo após a primeira vez em que derrotar Lance e a Elite 4, o jogador abrirá a National Déx, uma espécie de Pokédex global. Neste momento, o jogador estará apto principalmente a duas situações, a primeira é a possibilidade de capturar lendários e novos Pokémons da Região de Hoenn e de Sinnoh, enquanto a segunda é poder derrotar todos os 8 líderes originais, desta vez da Região de Kanto, o que totaliza 16 insígnias oficiais. Está cansado? Ainda tem mais, para "zerar" o título, o jogador ainda deverá vencer a Elite 4 novamente e por último vencer Red, mais conhecido como Ash para os ocidentais.

Assim como no desenho, temos que pegar!:

Uma das características da franquia multimilionária da Nintendo é ser viciante. E esta marca ainda se encontram em Heart Gold e Soul Siver. Com uma quantidade gigantesca de Pokémon para serem capturados, e com uma fórmula conhecida e "clichê", mas que no entanto, nunca deixará o jogador entediado. Além disso, tanto os jogadores mais antigos, que acompanham a franquia desde o seu início, quanto os mais novatos sabem que treinar, evoluir e fortalecer seus Pokémon é uma prática que exigirá com toda certeza, no mínimo umas 100 horas de sua vida, mas que com toda certeza, serão gratificantes. Vale ressaltar ainda uma das características mais básicas da série, seu modo de competição online, talvez um dos mais bem produzidos pela Nintendo, Em HG/SS temos a possibilidade de criar estratégias únicas com um time balanceada observando seus golpes, habilidades e possibilidades. Com isso, Pokémon atingiu dois tipos de jogadores, aqueles que apenas querem "evoluir" os seus Pokémon para o enredo principal, e também para aquele que estuda estratégia para batalhas e torneios ao redor do mundo.

Chega de sedentarismo!:

Temos aqui um periférico único para ambos os títulos chamado de Pokéwalker. Este pequeno objeto, incluso em qualquer cópia original de Pokémon Heart Gold e Soul Silver é uma espécie mais moderna dos famosos Tamagochi com uma espécie de pedômetro. Este item tem como principal funcionalidade contar os passos reais do jogador, enquanto caminho com o periférico e transforma todos estes passos em "Pokédollars", as moedas do universos Pokémon. Com isso, o jogador poderá passar para suas cópias as quantias adquiridas e comprar novos itens nos Mart de qualquer cidade das regiões. No entanto, o Pokéwalker não serve somente para grana, estão incluídos nele a possibilidade de encontrar objetos raros, aumentar a felicidade de seu Pokémon, caso seja transferido para dentro do periférico, além de poder encontrar Pokémons raríssimos, exclusivos do próprio Pokéwalker.

Reprovado:

Como sempre, mais do mesmo:

Estamos aqui no calcanhar de Aquiles de absolutamente todos os títulos da série Pokémon, o seu enredo principal. Como já foi relatado, o enredo de Heart Gold e Soul Silver, embora longevo, se refere a praticamente quatro coisas que SEMPRE se repetem em qualquer capítulo da extensa franquia; você é um jovem que sai de casa para ser um Mestre Pokémon, deve vencer a Equipe Vilã, todos os líderes de ginásio, fortalecer e capturar todos os Pokémons possíveis e vencer finalmente e Elite 4. Obviamente, temos algumas diferenças entre as versões, como uma pequena faixa de terra disponível logo após o término da primeira fase ou como no caso das versões analisadas, um Continente inteiro pela frente, mas isso não tira a "marca" deixada pelo tempo no enredo da franquia que mesmo que não entedie o jogador, já é algo previsível de certa forma.

Os animais tem sons, os Pokémon eu não sei...

Uma das coisas que vivo repetindo e que acredito que poderiam ter melhorado esta geração era o choramingado som dos Pokémon. Sim, eles permanecem os mesmos desde que a série foi criado, nos primórdios do Game Boy, a décadas atrás, e aparentemente a Nintendo e a Game Freak esqueceram que já estamos na geração do Nintendo DS. Não estamos reclamando da trilha sonora do título, já que esta sim sofreu algumas mudanças, claro, mantendo a sua essência, mas sendo reformulado segundo o poderio da nova plataforma. No entanto, os sons (ou cries) dos monstros não sofreram absolutamente nada de positivo. Basicamente foi "temos este som, pois bem, vamos tacar no jogo e pronto". Este é um ponto que a desenvolvedora pode pensar em um futuro próximo, não é necessário colocar os Pokémon falando o seu nome como no anime, mas melhorar todos os sons já existentes.

Veredito:

Embarque com Pikachu, Chikorita, Totodile e Cyndaquil  para vasculhar os segredos de uma região de Johto completamente remasterizada :

Pokémon Heart Gold e Soul Silver é um título muito interessante para o Nintendo DS pois consegue mesclar as novidades trazidas durante as gerações de seu original, o Game Boy e "fundir" com sabedoria o que ocorreu de melhor durante as temporadas de Game Boy Advanced e do Nintendo DS. Sendo assim, ambos os títulos são muito bem produzidos e compactos, com um extra para a extensa e gigantesca longevidade, que com toda certeza agradará a todos os jogadores que preferem títulos mais demorados do que os considerados passageiros. Além disso, temos a enorme quantidade de monstros de bolso e uma variedade maior ainda de possibilidade de duelos o que deixa a imersão e a habilidade do jogador muito mais fluentes, devido a necessidade quase que obrigatória de se adaptar a qualquer adversário. Em outras palavras, Pokémon Heart Gold e Soul Silver são muito bem recomendado tanto para os novatos quanto para os mais velhos que apreciem uma bola jogabilidade online, mas que também tenham um "ar" mais estratégico. Por outro lado, por possuir uma história bastante "clichê" é desaconselhável para queles jogadores que apreciem a história acima de todas as outras coisas.


Notas:

Com a nova versão do Nintendo Fiction, a nota atribuída para cada um dos jogos analisados será dividido em duas categorias, a Área Técnica e a Área Dinâmica. Na área técnica estão contidos três quesitos, Áudio Geral, Gráficos e Artes Visuais, enquanto que na área dinâmica temos Longevidade, Jogabilidade e Diversão. Por fim, teremos a média geral de nota para o título.






Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...